BLOG / Artigo

Como consertar uma relação de trabalho

14/02/2020

Os locais de trabalho são comunidades, construídas em torno dos relacionamentos que mantemos com nossos colegas. Quando esses relacionamentos são fortes, eles podem ser uma fonte de energia, aprendizado e apoio. Mas quando se rompem, mesmo que apenas temporariamente, tornam-se fontes de frustração que prejudicam pessoas e organizações. Deixado desmarcado, mesmo um pequeno conflito pode sair de controle, levando à raiva e ao ressentimento. É por isso que gerentes e funcionários precisam ser capazes de gerenciar e se recuperar desses conflitos.

Queríamos entender como os relacionamentos podem ser fortalecidos para evitar possíveis avarias e as melhores maneiras de repará-los quando ocorrerem problemas. Revisamos cerca de 300 estudos, publicados em administração e psicologia nos últimos 15 anos, com foco em relacionamentos no local de trabalho, transgressões e reparação de relacionamentos. Com base em nossa análise, identificamos as três práticas a seguir que podem ajudá-lo a tornar suas relações de trabalho mais resistentes diante de conflitos e tensões cotidianas.

 

Redefina o tom emocional

Os conflitos têm um impacto emocional. Mesmo pequenos problemas criam tensão entre nós e os outros, o que pode nos levar a afastar-se, a fim de minimizar sentimentos de mágoa, frustração e raiva. Mas, em vez de se afastar, a pesquisa sugere que é melhor redefinir o tom emocional quando percebermos alguma tensão. Uma maneira de fazer isso é trazer lembranças positivas com seu colega, o que pode fortalecer seu vínculo e atuar como uma rede de segurança emocional para seus relacionamentos.

Isso não significa ignorar as emoções negativas que você pode estar sentindo. Em vez disso, pense na história positiva que você compartilha pode ajudá-lo a contrabalançar esses sentimentos negativos, para que você possa expressá-los de maneira eficaz. Seu objetivo é criar um ambiente de apoio no qual você possa expressar sua mágoa e raiva sem prejudicar ainda mais seu relacionamento.

Para restabelecer um tom emocional positivo:

Levante a questão. Você quer reconhecer imediatamente a tensão e permitir que se expressem sentimentos negativos, mas é importante que você também enfatize seus sentimentos positivos sobre o futuro do relacionamento: “Eu sei que não estamos vendo olho no olho neste momento no momento. , e é perturbador para nós dois, mas estou realmente otimista de que possamos resolver isso. ” Verifique se as "regras" do seu relacionamento significam que você pode expressar suas emoções e perguntar sobre as de seus colegas, sabendo que eles ouvirão sem ficar na defensiva.

Sugira um tempo limite. Marque uma reunião por alguns dias para deixar suas emoções esfriarem. Se o tempo é essencial, mesmo algo como uma pausa para o café pode ajudar a aliviar a tensão. Se não houver a oportunidade de um intervalo físico, tente uma breve mudança de tópico, que demonstrou reduzir a excitação fisiológica durante o conflito e promover emoções positivas. Por exemplo, reserve um momento para verificar um com o outro sobre outro projeto que está indo bem.

Comprometa-se com uma meta de relacionamento compartilhado. Concorde que seu relacionamento é importante e que ambos desejam restaurar sentimentos positivos mútuos. Lembre à outra pessoa os elementos positivos de seu relacionamento e seu desejo de ter interações mais positivas no futuro. Isso pode ajudar a impedir que o conflito atual contamine todo o relacionamento.

 

Crie sua narrativa compartilhada

Se e como os relacionamentos se recuperam dos conflitos também depende das histórias que contamos. Os estudos sugerem começar com uma explicação pessoal do que você vê como causa do conflito, solicitar a explicação das outras pessoas e usá-las como base para trabalhar em conjunto para alcançar um entendimento comum do que aconteceu e por quê. Se cada pessoa tiver uma interpretação diferente ou negativa, e estas não forem abordadas, não haverá uma base compartilhada para reconstruir o relacionamento. Por exemplo, se a outra pessoa não reconhecer a dor que causou, é improvável que ela dê o primeiro passo crucial para pedir desculpas.

Parte do objetivo de criar uma narrativa compartilhada é que ela pode aumentar a disposição das pessoas em perdoar e reconciliar - se elas assumem o melhor, e não o pior, sobre as intenções da outra pessoa. Uma narrativa compartilhada pode ajudar os dois lados a reconhecer que a fonte do conflito não é a "falha" de qualquer pessoa, mas sim uma falha de como eles estão se relacionando. Por exemplo, em vez de culpar a si mesmo (fui supercomprometido) ou ao seu colega de trabalho (eles não priorizaram o projeto) por não cumprir um prazo, você pode refletir sobre como as duas ações contribuíram para a falha (não fizemos check-in com freqüência suficiente para garantir que estávamos no caminho certo). Essa última explicação sugere que seu relacionamento precisa melhorar, mas também sugere maneiras de criar um processo relacional mais positivo no futuro.

Ao criar sua narrativa compartilhada, pense em:

O que deu errado? Peça a história da outra pessoa sobre o rompimento do relacionamento e ofereça sua própria perspectiva. Esteja aberto e ouça sem ficar na defensiva. Se você não conseguir ouvir e refletir completamente sobre a história da outra pessoa sem reagir e interromper, tente perguntar a perspectiva da pessoa em um email.

É sobre nós, não eu ou você. Dê um passo para trás, concentrando-se na outra pessoa e focando novamente no próprio relacionamento. Pergunte se há algo sobre como você interage entre si que contribuiu para o colapso. Em vez de culpar um ao outro, esse foco em seu relacionamento o ajudará a perceber se a causa raiz do colapso é algo que você pode mudar.

Reflita sobre sua história. A pesquisa vinculou consistentemente a reminiscência à satisfação do relacionamento a longo prazo. Aplicado ao contexto do local de trabalho, isso sugere que quanto mais você refletir sobre seu histórico positivo com seus colegas de trabalho, mais fácil será elaborar uma narrativa na qual esse evento negativo seja a exceção e não a regra. Lembre um ao outro não apenas dos picos emocionais do seu relacionamento, dos seus sucessos concretos compartilhados, mas também dos vales e de como você os trabalhou. Fazer isso ilumina o potencial de tempos difíceis para servir como oportunidades de crescimento.

 

Crie agilidade relacional

Quando confrontados com um conflito, é essencial que, além de redefinir o tom emocional e criar uma narrativa compartilhada, estamos dispostos a tentar novas maneiras de interagir entre si - o que chamamos de agilidade relacional. Freqüentemente, respondemos às quebras de relacionamento "cavando", aderindo à nossa interpretação dos eventos e à nossa solução preferida. Se, em vez disso, pausarmos e improvisarmos - procurarmos uma abordagem diferente e criativa para resolver o problema -, é mais provável que consertemos o relacionamento com sucesso e até o possamos fortalecer.

As próprias fraturas podem ser um sinal de que algo sobre o relacionamento não estava mais funcionando, e tentar uma abordagem diferente para interagir pode permitir que indivíduos quebrem padrões antigos e se relacionem de maneiras mais produtivas. Obviamente, desenvolver a agilidade relacional é desafiador, especialmente quando as coisas estão tensas. Considere estas estratégias:

Planeje improvisar. Uma boa improvisação requer planejamento. Em vez de assumir que seus relacionamentos serão tranqüilos, pense em possíveis pontos problemáticos. Por exemplo, se você precisar renegociar alocações ou cargas de trabalho de recursos, não assuma um acordo fácil. Em vez disso, pense nas razões pelas quais seu colega de trabalho pode se opor e planejar para eles. Pergunte a si mesmo se a outra pessoa pode se sentir desvalorizada ou protetora de sua equipe. Ao pensar nas possíveis objeções, você pode estar pronto para responder no momento com a solução criativa de problemas.

Quando o inesperado acontecer, preste atenção e fique curioso. Haverá surpresas que surgem no curso de suas interações interpessoais que você não pode controlar ou planejar. Se você está surpreso com a reação de um colega, em vez de reagir defensivamente, pergunte a si mesmo "por quê?" Você pode identificar exatamente o que está provocando para você? Lembre-se de que a reação deles fornece informações importantes sobre seus interesses, e reações fortes nos dizem que a outra pessoa se sente atacada. Talvez você tenha solicitado a um colega de trabalho que se mudasse para um escritório diferente, e eles começaram a chorar. Ficar curioso sobre o porquê disso aconteceu levaria você a perguntar por que mudar de escritório era tão angustiante. Uma vez que você chegar à raiz do problema, você pode então começar a resolução de problemas em conjunto.

Esses três movimentos - criando um tom positivo, narrativas compartilhadas e agilidade relacional - ajudarão a reparar os relacionamentos mais prejudicados, mas também é importante perceber que nem todos os relacionamentos devem ser reparados. Há momentos em que a melhor ação é se afastar ou pelo menos encontrar maneiras de contornar um relacionamento profundamente improdutivo com colegas de trabalho. É o caso quando um único incidente é tão flagrante (por exemplo, uma instância de assédio) ou o comportamento é persistente por longos períodos de tempo (por exemplo, um chefe abusivo verbalmente consistente). Também pode ser que o relacionamento não valha mais a pena, se você tentar executar essas etapas e elas não forem correspondidas pelo seu colega de trabalho. Mas, mesmo assim, você pode aprender com essa experiência. Se um relacionamento atingiu seu fim natural, use a experiência e as lições que você recebeu para construir bases mais fortes para seus futuros relacionamentos.

 

 

 

Fonte: https://hbr.org/2020/02/how-to-mend-a-work-relationship

 

PESQUISAR

CATEGORIAS

POSTS MAIS LIDOS

O seu navegador está desatualizado!

Atualize o seu navegador para ter uma melhor experiência e visualização deste site. Atualize o seu navegador agora

×